Dicionário de Espiritismo-E

Dicionário de Espiritismo-E

Letra E

Dicionário de Espiritismo-E

Dicionário de Espiritismo Letra E

Dicionário Espírita

Dicionário Espírita, vocabulário espírita, kardecista

Dicionário Espírita

E

Eclesiástico [do grego ekklesiastikós, pelo latim ecclesiasticu] – 1. Pertencente ou relativo à igreja tradicional. 2. Membro da organização sociológica da igreja: sacerdote, clérigo, padre. 3. No movimento espírita, tal termo é inaplicável, pois que a sua organização não obedece a qualquer hierarquia sacerdotal.

Eclodir [do francês éclodir] – 1. Vir à luz; aparecer; surgir. 2. Desabrochar; nascer; rebentar; emergir.

Ecologia [do grego oikos + log(o) + -ia] – Estudo das relações entre os seres vivos e o meio ambiente em que vivem, assim como as suas influências recíprocas.

Economia [do latim oeconomia] – 1. Arte ou ciência de bem administrar uma casa ou um estabelecimento público ou privado. 2. Poupança, moderação ou contenção nos gastos. 3. Ciência que trata da produção, distribuição, acumulação e consumo de bens materiais.

Ectoplasma [do grego e do latim, respectivamente: ektós + plasma]- 1. Biologia: parte periférica do citoplasma. 2. Parapsicologia: termo criado por Charles Richet para designar a substância visível que emana do corpo de certos médiuns. 3. Para a ciência espírita, designa a substância viscosa, esbranquiçada, quase transparente, com reflexos leitosos, evanescente sob a luz, e que tem propriedades químicas semelhantes às do corpo físico do médium, donde provém. É considerada a base dos efeitos mediúnicos chamados físicos, como a materialização, pois através dela os Espíritos podem atuar sobre a matéria.

Ectoplasmia [do grego e do latim, respectivamente: ektós + plasm (a) + -ia] – Exteriorização de Espírito desencarnado ou de objetos espirituais, através do aproveitamento do ectoplasma do médium. O mesmo que materialização.

Ectoplasta [do grego ektós + plas (ma) + -ta] – Médium de efeito físico que empresta potencial ectoplásmico para materialização de Espírito ou objeto espiritual.

Educação [do latim educatione] – 1. Conjunto de processos e métodos que orientam o desenvolvimento natural, progressivo e sistemático das capacidades físicas, intelectuais e morais do ser humano, com vistas a um ideal de perfeição. 2. Ato ou efeito de educar-se, ou seja, de alterar hábitos e atitudes, a partir dos conhecimentos e aptidões adquiridos.

Educar [do latim educare] – Promover a educação; transmitir conhecimentos; ensejar condições para a pessoa modificar para melhor seu comportamento.

Efeito [do latim effectu] – 1. Resultado da atuação de qualquer coisa; conseqüência necessária ou fortuita de uma causa. 2. Realização; execução. 3. Eficiência, eficácia. 4. Dano; prejuízo. 5. Impressão, sensação.

Efêmero [do grego ephémeros] – Que dura apenas um dia; de curta duração; passageiro; transitório.

Eflúvio [do latim effluvium] – 1. Emanação invisível e sutil que se desprende de um corpo orgânico; exalação, perfume, aroma. 2. O mesmo que fluido.

Ego [do latim ego] – 1. O eu de qualquer indivíduo. 2. Sentimento da própria importância.

Egocentrismo [do grego egó + kéntron] – 1. Estado de espírito do egocêntrico. 2. Tendência para referir tudo a si mesmo, fazendo do eu o centro do Universo.

Egoísmo [do latim ego + ismo] – 1. Amor próprio excessivo, desconsiderando o interesse alheio. 2. Doutrina que coloca o interesse individual como norteador da conduta humana e dos seus preceitos morais. 3. Exclusivismo, egocentrismo.

Egoísta [do latim ego + -ista] – Aquele que demonstra egoísmo e trata só de seus interesses.

Egolatria [do latim ego + -l + -atria] – 1. Culto do eu; adoração de si próprio. 2. Egotismo; personalismo; importância excessiva a si mesmo.

Egotismo [do inglês egotism] – O mesmo que egoísmo.

Egotista [do inglês egotist] – O mesmo que egoísta.

Elemento [do latim elementu] – 1. Para a ciência da antigüidade: a terra, o ar, a água e o fogo. 2. O que entra na composição de um todo; matéria-prima; princípios fundamentais. 3. Indivíduo que integra um grupo social. 4. Meio, recurso.

Eletromagnetismo [do latim e do francês, respectivamente: electro + magnétisme] – Estudo da interação entre correntes elétricas e campos magnéticos.

Elevação [do latim elevatione] – 1. Ato ou efeito de elevar ou de levantar. 2. Ação de elevar-se ou erguer-se; ascensão. 3. Ato de ser promovido, alçar-se. 4. Grandeza; nobreza; superioridade; distinção.

Elite [do francês élite] – O que existe considerado de melhor em um grupo ou em uma sociedade.

Elitismo [do francês élite + -ismo] – Sistema de concepção ou de vida embasado no favorecimento de uma minoria.

Elitista [do francês élite + -ista] – 1. Adepto do elitismo. 2. O que diz respeito ao elitismo.

Eloqüência [do latim eloquentia]- Capacidade de exprimir-se com facilidade e persuasão, convencendo e emocionando.

Emanar [do latim emanare] – 1. Exalar dos corpos; desprender-se 2. Provir; sair de; brotar; originar-se.

Emancipação [do latim emancipatione] – 1. Ato ou efeito de se emancipar; ficar livre; ter alforria; ganhar independência. 2. Eximir-se do pátrio poder ou de tutela; ganhar direitos civis. 2. Emancipação da alma. Estado particular da vida humana durante o qual a alma, desprendendo-se de seus laços materiais, recupera algumas das suas faculdades de Espírito e entra mais facilmente em comunicação com os seres incorpóreos. Esse estado se manifesta principalmente pelo fenômeno dos sonhos, da soniloquia, do sonambulismo natural ou magnético e do êxtase. Ver: desdobramento.

Emoção [do francês émotion] – 1. Abalo moral, comoção. 2. Fenômeno de natureza afetiva que produz reação orgânica e abalo de consciência penoso ou agradável.

Empatia [do grego empátheia] – Tendência de se colocar no lugar do outro, buscando sentir como se estivesse na mesma situação e circunstância experimentada pela outra pessoa.

Empedernir [do latim impetrinire] – 1. Tornar ou ficar duro como pedra. 2. Insensível.

Empírico [do grego empeirikós, pelo latim empiricu] – Conhecimento baseado apenas na experiência, não tendo caráter científico.

Empirismo [do grego empeiria] – Doutrina filosófica, segundo a qual todo o conhecimento humano deriva tão somente da experiência.

Emulação [do latim aemulatione] – Ansiedade por se igualar ou superar outra pessoa. 2. Competição, concorrência; rivalidade.

Encarnação [do latim incarnatione] – 1. Ato ou efeito de encarnar. 2. Espaço de tempo que o Espírito passa mergulhado num corpo material. Diz-se: Espírito encarnado, em oposição a Espírito errante ou desencarnado. A encarnação pode ocorrer na Terra ou em outro mundo. A rigor, seria apenas o primeiro nascimento, sendo reencarnação os subseqüentes.

Encarnado [do latim encarnatu] – Que encarnou; Espírito mergulhado na carne; Espírito com corpo físico.

Energia [do grego enérgeia, pelo latim energia]- 1. Maneira como se exerce uma força. 2. Propriedade de um sistema que permite realizar trabalho. A energia pode ter várias formas (calorífica, cinética, elétrica, eletromagnética, mecânica, potencial, química, radiante) transformáveis umas nas outras, e cada uma capaz de provocar fenômenos bem determinados e característicos nos sistemas físicos. Em todas as transformações de energia há completa conservação dela, isto é, a energia não pode ser criada, mas apenas transformada. A massa de um corpo pode-se transformar em energia, e a energia sob forma radiante pode transformar-se em um corpúsculo com massa. 3. Emanação não material, no campo vibratório, derivada de atividades do pensamento ou de fenômenos vibratórios inerentes à estrutura da matéria e suas propriedades.

Enfermidade [do latim enfirmitate] – 1. Doença; moléstia. 2. Vício; mania.

Enfermo [do latim infirmu] – 1. Que não funciona bem. 2. Que está atacado de enfermidade; doente; indisposto; debilitado.

Engendrar [do latim ingenerare] – Idealizar; imaginar; planear; inventar; produzir.

Ensejo [do latim exagium] – 1. Ocasião oportuna, própria. 2. Oportunidade, lance.

Ensinar [do latim insignare] – 1. Transmitir conhecimento, instruir, lecionar, educar. 2. Dar a conhecer; indicar, assinalar caminho. 3. Pregar, doutrinar.

Entidade [do latim entitate] – 1. A essência de uma coisa; identidade; ser; ente. 2. Serve para denominar também o Espírito desencarnado.

Envoltório [do latim involvit(u) + -orio] – 1. O que serve para envolver. 2. Capa; faixa; embrulho. 3. O mesmo que invólucro.

Epífise [do grego epíphysis] – 1. Glândula situada no cérebro, por cima e por trás das camadas óticas, à que se atribuem funções endócrinas. 2. De acordo com informações da Espiritualidade, a epífise, ou glândula pineal, seria a responsável pelo controle das forças sexuais e pela vida mental do ser humano, presidindo os fenômenos nervosos da emotividade e tornando-se o canal entre os corpos espiritual e físico.

Epistemologia [do grego epistéme + -o + -log (o) + -ia] – Estudo do conhecimento humano quanto ao seu alcance e condições; teoria da ciência.

Epístola [do grego epistolé, pelo latim epistola] – 1. Carta, missiva, correspondência. 2. Cada uma das cartas do apóstolos e das comunidades cristãs primitivas.

Eqüidade [do latim aequitate] – 1. Disposição de reconhecer o direito igual de cada um. Justiça natural. 2. Igualdade; imparcialidade; retidão.

Erigir [do latim erigere] – 1. Erguer a prumo; alçar; levantar. 2. Fundar; criar; instituir. 3. Atribuir a si mesmo direito ou qualidade.

Errante [do latim errantem] – Espírito que se encontra no Mundo Espíritual, aguardando oportunidade de reencarnar.

Erraticidade [do francês erraticité] – Estado dos Espíritos desencarnados, durante os intervalos de suas existências corporais. Deixando o corpo físico, a alma reentra no Mundo dos Espíritos, permanecendo um lapso de tempo mais ou menos longo na situação de Espírito errante, até retomar uma nova existência material.

Errôneo [do latim erroneu] – Que contém erro; errado; falso.

Erudito [do latim eruditu] – O que sabe muito, tem instrução vasta e variada adquirida sobretudo pela leitura.

Escala [do latim scala] – Registo indicativo da condição evolutiva dos indivíduos encarnados ou desencarnados. Ver: Escala espírita.

Escala espírita – A codificação espírita revela que os Espíritos não são iguais em saber, em moralidade e em virtudes, podendo ser classificados segundo o grau evolutivo alcançado. Assim, podem ser catalogados na seguinte escala: a) Espíritos puros – 1a classe; b) Espíritos bons: 2a classe – superiores, 3a classe – intelecto-morais, 4a classe – sábios, 5a classe – benfazejos; c) Espíritos imperfeitos – 6a classe – neutros, 7a classe – falsos-sábios, 8a classe – levianos, 9a classe – impuros, 10a classe – perturbadores.

Escândalo– [do grego skandalon, pelo latim escandalu] – 1. Aquilo que é causa ou que resulta de erro e que prejudica a quem quer que seja. 2. Desordem, tumulto, alvoroço, escarcéu, cena; acontecimento que abala a opinião pública.

Escravidão [do latim medieval sclavu + -idão] – 1. Estado ou condição de escravo; servidão; cativeiro. 2. Falta de liberdade; sujeição; submissão; dependência.

Escravo [do latim medieval sclavu] – 1. Que é propriedade ou está sujeito ao poder absoluto de um senhor 2. Dependente de outro; servo, criado.

Esforço [do latim es + fortia] – Característica da atividade de um ser consciente quando procura vencer uma resistência externa ou interna.

Esotérico [do grego esoterikós] – 1. Diz-se do ensinamento que, em escolas filosóficas da antigüidade grega, era reservado aos discípulos completamente instruídos. 2. Por extensão, todo o ensinamento ministrado a grupo fechado e restrito.

Esoterismo [do grego esoterikós + -ismo] – 1. Doutrina ou atitude de espírito que preconiza que o ensinamento da verdade (científica, filosófica ou religiosa) reserva-se a número restrito de iniciados, escolhidos por sua inteligência ou valor moral. 2. Doutrina que estuda e pratica um conjunto de conhecimentos transcendentais, internos ou secretos, que não são reconhecidos pela ciência ou pela filosofia.

Espaço [do latim spatiu] – 1. Extensão em que se move o Universo; meio indefinido tridimensional, ilimitado ou infinitamente grande, que contém todos os seres e coisas. 2. No meio espírita, ainda que inadequadamente, o vocábulo tem sido aplicado no sentido de mundo espiritual.

Especular [do latim speculare] – 1. Referente a superfície refletora; próprio de espelho. 2. Transparente. 3. Escrita de trás para a frente, lida com o auxílio de espelho ou contra a luz.

Esperanto [do latim sperare + -ant + -o] – Língua auxiliar internacional criada pelo médico polonês Lázaro Luiz Zamenhof e que foi divulgada a partir de 1887.O objetivo do Esperanto afina-se com a Doutrina dos Espíritos no que tange à solidariedade entre as pessoas, independente de sentimentos conflitantes de nacionalidade, já que não busca substituir os idiomas oficiais das nações.

Espírita [do francês espirite] – Neologismo criado por Allan Kardec, em “O Livro dos Espíritos”, para significar: a) o que tem relação com o Espiritismo; adepto do Espiritismo; b) aquele que pode ser reconhecido “pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas más inclinações”. O codificador da Doutrina Espírita classifica: I – Espírita cristão: aquele que não se contenta em admirar a moral espírita, praticando-a e aceitando todas as conseqüências; II – Espírita exaltado: aquele que tudo aceita sem reflexão ou exame, sendo mais nocivo que útil à Doutrina; III – Espírita experimentador: aquele que se interessa apenas pelas manifestações, pelos fenômenos, desconhecendo o aspecto moral da Doutrina; IV – Espírita imperfeito: aquele que, compreendendo a parte filosófica, admira a moral daí decorrente, mas não a pratica; V – Espírita sem o saber: aquele que, sem nunca ter ouvido falar da Doutrina, possui inato sentimento dos seus princípios, o que refletem em seus escritos e em seus discursos. Ver: Espiritista.

Espiriteiro [do francês espirit (e) + -eiro] – Neologismo criado pelo escritor Richard Simonetti, para designar a pessoa que freqüenta centro espírita desligada das finalidades do Espiritismo.

Espiritismo [do francês Espiritisme] – 1. Neologismo também criado por Allan Kardec, por indicação dos Espíritos, para diferenciação com o termo “espiritualismo”, mais genérico e que indica o oposto do materialismo. 2. Doutrina filosófica, científica e de conseqüências morais, fundadas sobre a crença na existência dos Espíritos, tratando da imortalidade da alma, da natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, das leis morais, da vida presente, da vida futura e do futuro da Humanidade, segundo o ensinamento dado pelos Espíritos Superiores com a ajuda de diversos médiuns.

Espiritista [do francês espiritiste] – Aquele que adota a Doutrina dos Espíritos. O termo espírita, no entanto, por ser mais genérico, é o que se consagrou em língua portuguesa.

Espiritizar [do francês espiriti (sme) + -z + -ar] – Ato ou efeito de tornar uma pessoa espírita, com a aplicação dos princípios doutrinários na sua existência.

Espírito [do latim spiritu] – 1. No sentido especial da Doutrina Espírita, os Espíritos são os seres inteligentes da criação, que povoam o Universo, fora do mundo material, e constituem o mundo invisível. Não são seres oriundos de uma criação especial, porém, as almas dos que viveram na Terra, ou em outros mundos habitados, e que deixaram o invólucro corporal. 2. Princípio inteligente do Universo. 3. Razão; juízo; inteligência.

Espírito Superior – são as almas muito evoluídas.

Espírito batedor – São os Espíritos que revelam sua presença por meio de pancadas e de ruídos de diversas naturezas.

Espírito de Verdade – Denominação adotada pelo Espírito superior referenciado por Jesus (João, 14:15 a 17 e 26) e que coordenou a falange encarregada da revelação da Doutrina dos Espíritos sistematizada por Allan Kardec.

Espírito elementar – 1. No Ocultismo e na Teosofia, elementares são os Espíritos dos quatro elementos da Natureza. 2. Para o Espiritismo, é o Espírito considerado em si mesmo e feito abstração de seu perispírito ou invólucro semimaterial.

Espiritólico [espírit(a) + (ca)tólico] – Neologismo criado no movimento espírita brasileiro, designando o freqüentador de centro espírita que ainda se mostra vinculado a dogmas e exteriorizações do Catolicismo.

Espiritual [do latim spirituale] – Relativo ao Espírito ou ao mundo espiritual.

Espiritualismo [do latim spirituale + -ismo] – 1. Diz-se no sentido oposto ao do materialismo. 2. Doutrina que defende a essência espiritual e a imortalidade da alma, bem como a existência de Deus. 3. Por seus fundamentos, o espiritualismo constitui a base de todas as religiões.

Espiritualista [do latim spirituale + -ista] – O que tem relação com o espiritualismo; partidário do espiritualismo. Quem creia que o homem e o mundo não são só matéria, é espiritualista, o que não implica em crença nas manifestações dos Espíritos. Todo espírita é necessariamente espiritualista; mas é possível ser espiritualista sem ser espírita.

Espirituoso [do latim spiritu + -oso] – Que tem espírito; alegre, divertido, gracioso, vivaz.

Espoliar [do spoliare] – 1. Privar ilegitimamente alguém de alguma coisa por violência ou fraude. 2. Desapossar; despojar; esbulhar; roubar.

Estágio [do latim medieval stagiu] – 1. Aprendizagem; exercício; prática. 2. Etapas de um trabalho. 3. Situação de preparação, transitória.

Estelar [do latim stellare] – Relativo às estrelas; conjunto de estrelas.

Estereológica [do grego stéreos] – Aparição que adquire as propriedades da matéria resistente e tangível. Ver: Materialização.

Estereótipo [do grego stereós + týpos]- 1. Generalização demasiadamente simples e rígida a respeito de uma pessoa ou grupo. 2. Clichê, chavão, lugar-comum.

Estéril [do latim sterile] – Que não produz; árido; infértil; infecundo; improdutivo.

Esterilizar [do latim sterilizare] – Tornar estéril; inutilizar; castrar.

Estesia [do grego aísthesis] – 1. Sensibilidade, sentimento. 2. Sentimento do belo.

Estética [do grego aisthetikós] – Estudo relativo à criação artística, à beleza e à plástica, suas condições e seus efeitos.

Estilo – [do grego stylos, pelo latim stilu] – Conjunto de elementos característicos capazes de imprimir singularidade e diferenciação, em qualquer ação humana.

Estímulo [do latim stimulu] – Aquilo que estimula; incentivo; ânimo; encorajamento.

Estiolamento [do francês étioler + -mento] – Definhamento; enfraquecimento.

Estiolar [do francês étioler] – 1. Produzir o estiolamento de. 2. Enfraquecer-se, debilitar-se, definhar, finar-se. 3. Atrofiar.

Estudo [do latim studiu] – 1. Aplicação do espírito para aprender, apreciar ou analisar matéria ou assunto especial, uma ciência, uma arte. 2. O conhecimento resultante da aprendizagem.

Éter [do grego aithér] – 1. Meio elástico hipotético em se que propagariam as ondas eletromagnéticas, e cuja existência não é admitida pelas teorias físicas. 2. Por extensão, o espaço celeste.

Etéreo [do latim aetheriu] – 1. Puro; sublime; elevado; delicado. 2. Celestial.

Eterno [do latim aeternu] – 1. Que não tem princípio nem fim, que dura sempre; que está fora do tempo, não cessa nem sofre alteração. 2. Deus.

Ética [do grego ethikós, pelo latim ethica] – 1. Estudo relativo à conduta humana e os costumes de determinada sociedade em determinada época, qualificando-os do ponto de vista do bem e do mal. 2. Regramento natural ou convencionado de atuação social; ciência dos princípios da moral; a moral.

Eu [do latim vulgar eo] – 1. Pronome pessoal da primeira pessoa do singular. 2. A personalidade de um indivíduo. 3. A individualidade extracorporal ou metafísica da pessoa.

Eutanásia [do grego euthanasía] – 1. Boa morte, morte misericordiosa, sem sofrimento. 2. Prática de abreviar a vida de doente incurável, objetivando aliviar-lhe o sofrimento. 3. Perante o Espiritismo, também é prática delituosa, especialmente por desconsiderar o valor dos instantes finais e das derradeiras reflexões para o Espírito em processo de desencarne, assim como por desconhecer as repercussões que podem advir dessa ação.

Evangelho [do grego euaggélion, pelo latim evangeliu] – 1. Doutrina de Jesus Cristo; Boa Nova. 2. Cada um dos livros do Novo Testamento. 3. Coisa digna de crédito ou que se tem por absolutamente certa. 4. Conjunto de regras por que se regula uma seita. 5. “O Evangelho Segundo o Espiritismo” – obra organizada por Allan Kardec e que busca seus fundamentos no inatacável ensino moral de Jesus.

Evangelhoterapia [do grego euaggélion + therapeía] – Terapia pela evangelização, com a criatura assimilando e vivenciando os preceitos do Evangelho.

Evangélico [do latim evangelicu] – 1. Respeitante ou pertencente ao Evangelho. 2. Conforme os preceitos do Evangelho. 2. Diz-se do culto ou do membro das Igrejas Protestantes.

Evangelizar [do latim evangelizare] – 1. Pregar, difundir o Evangelho. 2. Renovar a criatura, oferecendo-lhe os fundamentos evangélicos.

Evidência [do latim evidentia] – Caráter do conhecimento que se afirma pela certeza, não comportando dúvida quanto à sua verdade.

Evocação [do latim evocatione] – 1. Ação ou efeito de chamar e fazer surgir os espíritos. 2. Não é sinônimo perfeito de invocação, por mais que tenham a mesma raiz.. Enquanto evocar é chamar, fazer vir a si, fazer aparecer por cerimônias mágicas, por encantamentos – evocar almas, espíritos, sombras; invocar é chamar a si ou em seu socorro um poder superior ou sobrenatural – invoca-se Deus pela prece. A invocação está no pensamento, a evocação é um ato. Na invocação, o ser ao qual nos dirigimos nos ouve; na evocação, ele sai do lugar em que está para vir a nós e manifestar sua presença. A invocação não é dirigida senão aos seres que supomos bastante elevados para nos assistir. Evocam-se tantos os Espíritos inferiores como os superiores.

Evolução [do latim evolutione > do francês évolution] – 1. Ação ou efeito de evoluir. 2. Série de modificações; desenvolvimento gradual e progressivo. 3. Na Biologia, teoria que defende que, através de transformações, as espécies se desenvolveram a partir de um estádio rudimentar e adquiriram as características que as distinguem.

Evolucionismo [do francês évolutionisme] – 1. Na Biologia, doutrina que ensina a mutabilidade das espécies. 2. Doutrina filosófica ou científica que se baseia na idéia da evolução como lei geral e inexorável para tudo o que existe.

Excomungar [do latim excommunicare] – 1. Separar da comunhão; expulsar da Igreja Católica. 2. Anatematizar; amaldiçoar; condenar. 3. Na Espiritismo inexiste tal prática, já que nada obriga, por ser doutrina do livre arbítrio.

Exegese [do grego exégesis] – De forma genérica, constitui-se o esclarecimento ou a minuciosa interpretação de um texto ou de uma palavra. Aplica-se especialmente em relação à Bíblia e demais textos religiosos, à gramática, às leis.

Exigüidade [do latim exiguitate] – Escassez; insignificância; mediocridade; pequenez.

Exílio [do latim exiliu] – 1. Ação ou efeito de exilar. Expatriação forçada ou voluntária; degredo; desterro. 2. Local do exílio. 3. Isolamento; retiro; solidão.

Eximir [do latim eximere] – Isentar; desobrigar; dispensar; livrar; preservar.

Existência [do latim existentia] – 1. Estado do que existe. 2. O fato de existir; vivência; ente, vida, ser. 3. Realidade; maneira de ser atual.

Exorcismo [do grego exorkismós,pelo latim exorcismu] – Oração ou cerimônia religiosa para esconjurar o demônio ou Espíritos maus. Prática inócua, conforme o Espiritismo, porque não resolve a problemática obsessiva unicamente com o afugentamento dos Espíritos obsessores vinculados. Ver: desobsessão.

Expiação [do latim expiatione] – 1. Ação ou efeito de expiar. Castigo ou sofrimento imposto, como compensação para uma má ação praticada; penitência; correção. 2. Segundo a Doutrina Espírita, é a purgação purificadora do mal que infeccionou o Espírito. Até que os últimos vestígios da falta desapareçam, a expiação consiste nos sofrimentos físicos e morais que lhe são conseqüentes, seja na vida atual, seja na vida espiritual após a morte, ou ainda em nova existência corporal. Ela serve sempre de prova, mas nem sempre a prova é uma expiação. Provas e expiações, entretanto, são sempre sinais de relativa inferioridade do Espírito. Ver: Prova.

Expiar [do latim expiare] – 1. Remir culpas, faltas ou crimes, mediante penitências ou cumprindo pena; sofrer as conseqüências de; pagar. 2. Purificar, preservando lugar santo, templo de profanação.

Exprobrar [do latim exprobrare] – 1. Censurar; repreender. 2. Lançar em rosto; acusar.

Êxtase [do grego ekstasis, pelo latim extasis] – Estado da emancipação da alma durante a vida corporal, de que resulta a suspensão momentânea das faculdades perceptivas e sensitivas dos órgãos. Nesta situação, a alma não se prende mais ao corpo, a não ser por laços fracos, que ela procura partir; pertence mais ao mundo dos Espíritos que ela antevê, do que ao mundo material. O êxtase é, algumas vezes, provocado pela ação magnética e, neste caso, é um grau superior de sonambulismo.

Extinguir [do latim extinguere] – 1. Apagar; fazer cessar (fogo). 2. Saciar, satisfazer.. 3. Consumir-se, esgotar-se. 4. Abolir, revogar, colocar fora de uso. 5. Exterminar inteiramente; Fazer desaparecer; destruir; suprimir. 6. Morrer, acabar.

Extinto [do latim exstinctu] – 1. Pessoa que morreu; morto, finado. 2. Que está acabado; abolido; apagado; exterminado; suprimido.

Exumação [do grego ex- + do latim humus] – Ato ou efeito de exumar.

Exumar [do grego ex- + do latim humus] – 1. Desenterrar, tirar da sepultura. 2. Tirar do esquecimento.