Dicionário de Espiritismo-P

Letra P

Dicionário de Espiritismo-P

Dicionário de Espiritismo Letra P

Dicionário Espírita

Dicionário Espírita, vocabulário espírita, kardecista

Dicionário Espírita

P

Paciente [do latim patiente] – 1. Resignado, conformado, que aguarda serenamente um resultado. 2. Que faz com paciência, perseverando numa atividade difícil e lenta. 3. Pessoa que padece, doente. 4. Aquele que é objeto da ação praticada por um agente.

Pacífico [do latim pacificu] – 1. Que é aceito ou admitido sem oposição ou discussão. 2. Aquele que promove a paz; sossegado, sereno, manso, tranqüilo.

Paixão [do latim passione] – 1. Sentimento de intensidade tão forte que se sobrepõe à razão; emoção exacerbada. 2. Desejo intenso; atração.

Palingenesia – [do grego palin + genes (e) + -ia] – Renascimentos sucessivos dos mesmos indivíduos. Ver: Reencarnação.

Palpável [do latim palpabile] – 1. Que se pode apalpar, ver, sentir. 2. Evidente, manifesto, notório.

Panteísmo [do grego pantós + teísmo]- 1. Doutrina pela qual só Deus é real e o mundo é um conjunto de manifestações ou emanações. 2. Doutrina de que só o mundo é real, sendo Deus a soma de tudo quanto existe. 3. Para essa doutrina, após a morte biológica, o ser incorpora-se no todo, perdendo a sua individualidade, o que está em confronto com o entendimento espírita, pelo qual todos os seres sobrevivem como individualidades, prosseguindo na dimensão espiritual suas existências após a morte física.

Parácleto [do grego parákletos, pelo latim paracletu] – 1. Designativo aplicado a Cristo. 2. Mentor, protetor, guia, defensor, intercessor. Ver: Paráclito.

Paráclito [do grego parákletos, pelo latim paracletu] – O mesmo que parácleto

Paradigma [do grego parádeigma, pelo latim paradigma] – 1. Modelo, padrão. 2. O que merece ser seguido ou imitado. Por exemplo: Jesus é considerado o melhor modelo e guia moral para a humanidade.

Paraíso [do grego paradeizos] – Termo que designa ‘morada dos bem-aventurados’, no entendimento espírita. Os antigos o colocavam na parte dos Infernos chamada Campos Elíseos. Os povos modernos situam-no nas regiões elevadas do espaço. Esta palavra é sinônimo de Céu, tomado na mesma acepção, com a diferença que à palavra Céu se liga uma idéia de beatitude infinita, ao passo que a palavra paraíso é mais circunscrita e lembra gozos um pouco mais materiais. A ciência já provou que céu e inferno, bem como paraíso, são apenas alegorias, não tendo existência real. A doutrina ensinada pelos Espíritos superiores está de acordo com a ciência.

Parapsicologia – Ciência de investigação que se ocupa dos fenômenos paranormais ou anímicos, tendo o professor Joseph Banks Rhine (1895-1980) e sua esposa Louisa Ella Rhine (1891-1983), fundadores do Laboratório de Parapsicologia, na Universidade de Duke, nos Estados Unidos, em 1935, os seus grandes expoentes.

Parasitose [do grego parásitos e do latim parasitu + -ose] – O processo de obsessão em que o obsessor faz o papel de parasito e o obsidiado de hospedeiro, com o primeiro sugando os princípios vitais do segundo. Igual a Vampirismo.

Parcial [do latim partiale] – 1. Que participa de um todo; que não é total; que se realiza por partes. 2. Favorável a uma das partes em questão, ato ou empreendimento; partidário; sectário. 3. Que julga ou opina sem isenção.

Parcialidade [do latim partial(e)+ -idade] – 1. Qualidade de parcial. 2. Facção; partido.

Parcialismo [do latim partial (e) + -ismo] – O mesmo que parcialidade.

Partidário [do latim partire + -ario] – 1. Respeitante a partido. 2. Que segue algum partido ou facção. 3. Adepto de uma idéia, uma escola; membro, prosélito.

Passe [do latim passare] – 1. Transfusão de energias psicofísicas alterando o corpo celular. 2. Transmissão de fluidos de uma pessoa, encarnada ou não, a outra, ou a objetos. 3. O passe pode ser: a) magnético, quando são transmitidos apenas os fluidos do agente encarnado; b) misto, quando aos primeiros somam-se os fluidos espirituais, pela força da vontade dos Benfeitores Espirituais, c) espiritual, quando não há a intermediação do passista, com os fluidos dos Espíritos sendo transferidos diretamente.

Passividade [do latim passivitate] – 1. Qualidade de passivo, aquele que sofre ou recebe uma ação ou impressão. 2. Faculdade de receber influência ou comunicação de Espírito, via de regra por psicografia ou por psicofonia. 3. A manifestação espiritual, via mediunidade.

Patologia [do grego páthos + log (o) + -ia] – Parte da medicina que se ocupa das doenças, suas origens, seus sintomas e sua natureza.

Pecado [do latim peccatu] – 1. Transgressão aos preceitos das religiões tradicionais. 2. Culpa, erro, falta. 3. Defeito, vício. 4. Crueldade, maldade. 5. Lástima, pena, tristeza. 6. Transgressão a qualquer preceito ou regra.

Pecar [do latim peccare] – 1. Cometer pecado. 2. Transgredir preceito da Igreja tradicional. 3. Infringir qualquer lei ou regra.

Pedagogia [do grego paidagogía] – Teoria e ciência prática da educação e do ensino.

Pena [do grego poiné, pelo latim poena] – 1. Castigo, punição, expiação. 2. Sanção aplicada em vista de lei. 3. Dor, padecimento, purgação, sofrimento. 4. Compaixão, dó, piedade. 5. Desgosto, mágoa.

Pena de talião – Penalidade estabelecida na época de Moisés, aplicando ao delito o mesmo gravame – “dente por dente, olho por olho…” Aplicação rigorosa e inflexível da lei de causa e efeito, ainda vigente como uma forma de vingança.

Penas eternas – Os Espíritos superiores ensinam que só o bem é eterno, porque é a essência de Deus, e que o mal terá um fim. Por conseqüência deste princípio, combatem a doutrina da eternidade das penas como contrária à idéia que Deus nos dá de sua justiça e de sua bondade.

Penates [do latim penitus, formado de penus] – Deuses domésticos dos antigos, assim chamados porque os colocavam no lugar mais retirado da casa.

Pendor [do latim pend(ere) + -or] – 1. Declive ou aclive; obliqüidade. 2. Tendência; propensão, inclinação.

Penoso [do latim poen (a) + -oso] – 1. Que causa pena, sofrimento, dor. 2. Difícil de fazer ou de suportar. 3. Incômodo, fatigante, árduo.

Pensamento [do latim pensare + mentu] – 1. Ato, efeito ou faculdade de pensar, refletir, meditar. 2. Qualquer ato de espírito ou operação da inteligência. 3. Meio e forma de comunicação dos espíritos. 4. Mente, intelecto, espírito.

Pensar [do latim pensare] – Formar ou combinar no Espírito pensamentos ou idéias, com o poder de conhecer no que consistem as coisas e a relação entre elas.

Pentateuco [do grego pentáteukhos] – 1. Designação dada pelos gregos ao conjunto dos cinco primeiros livros da Bíblia. 2. Espiritismo: conjunto dos cinco livros que constituem a Codificação Espírita.

Penúria [do latim penuria] – 1. Privação ou falta do necessário; escassez. 2. Pobreza extrema, miséria, indigência.

Perceber [do latim percipere] – 1. Conhecer por meio dos sentidos. 2. Compreender, entender, formar idéias. 3. Distinguir, notar. 4. Ver ao longe, divisar, enxergar. 5. Receber pagamento, ordenado, salário.

Percepção [do latim perceptione] – 1. Ato, efeito ou faculdade de perceber. 2. Conhecimento sensorial de objetos, pessoas ou acontecimentos. 3. Ação de conhecer independentemente dos sentidos.

Perecer [do latim vulgar periscere] – 1. Deixar de ser ou de existir; ter fim, acabar, findar. 2. Ser assolado, destruído, devastado. 3. Morrer.

Perecível [do latim vulgar perisc (ere) + -ivel] – 1. Sujeito a perecer. 2. Que pode se estragar; frágil.

Peregrinação [do latim peregrinatione] – 1. Ato de peregrinar; andar, percorrer ou viajar por devoção a lugares longínquos ou santificados; romaria.

Perfectível [do latim perfectu + -ivel] – O que é suscetível de aperfeiçoamento, que pode vir a ser perfeito.

Perfeição [do latim perfectione] – 1. Conjunto de todas as qualidades, a ausência de quaisquer defeitos. 2. Que atingiu o grau máximo em uma escala de valores. 3. Apuro, esmero, maestria, precisão, perícia, primor, requinte.

Perfeito [do latim perfectu] – 1. Que reúne todas qualidades possíveis. 2. Que atingiu o mais alto grau em uma escala de valores; incomparável, único, sem igual. 3. Que corresponde a um modelo, conceito ou padrão considerado ideal; exemplar, modelar. 4. Executado sem defeito; primoroso, impecável. 5. Que não enseja dúvida alguma; cabal; completo; total. 6. Excelente, ótimo, irrepreensível.

Pérfido [do latim perfidu] – Que trai à fé jurada ou à sua própria palavra; desleal, infiel, traidor.

Perisperma [do grego perí + spérma] – Fina membrana envolvente produzida pelo resto não absorvido da nucela – pequena noz, que fica em redor do embrião e do endosperma de uma semente.

Perispírito [do latim peri + spiritus] – 1. Invólucro semimaterial do Espírito . Nos encarnados, serve de laço ou intermediário entre o Espírito e a matéria. É retirado do fluido universal do globo em que o Espírito se acha e trocado ao passar de um a outro mundo, sendo mais ou menos sutil ou grosseiro, conforme sua natureza. 2. É nele que reside a identidade do Espírito, tomando a forma determinada pela vontade do mesmo, tanto que ordinariamente assume a imagem que este tinha em sua última existência corporal. 3. Serve de molde, esboço e forma para o corpo físico. 4. Constitui-se elemento chave de todos os fenômenos mediúnicos. Ver: Modelo organizador biológico.

Pernicioso [do latim perniciosu] – Que é prejudicial, danoso; mau, nocivo, perigoso.

Perpetrar [do latim perpetrare] – Praticar ato condenável; realizar, perfazer.

Perpetuar [do latim perpetuare] – Tornar perpétuo; imortalizar, eternizar, conservar.

Perquirir [do latim perquirere] – Investigar escrupulosa e detalhadamente; pesquisar, indagar, perscrutar.

Perseverança [do latim perseverantia] – Constância; firmeza; pertinácia; persistência.

Perseverar [do latim perseverare] – 1. Manter o mesmo estado de espírito. 2. Conservar-se firme e constante num sentimento ou numa resolução. 3. Continuar; persistir; teimar.

Persistência [do latim persisten (te) + -cia] – Constância; firmeza; perseverança.

Personalidade [do latim personalitate] – 1. Caráter do que é pessoal, pessoalidade. 2. O conjunto de qualidades e características que individualizam uma pessoa. 3. Aquilo que distingue uma pessoa de outra. 4. A organização constituída de todas as características que identificam o Espírito em uma etapa reencarrnatória. Para cada reencarnação do Espírito, como individualidade que é, uma personalidade.

Personalismo [do latim personal (is) + -ismo] – 1. Qualidade do pessoalizar. 2. Conduta centrada na própria personalidade, em que tudo se refere à própria pessoa.

Personificar [do latim persona + facere] – 1. Considerar como pessoa. 2. Atribuir qualidades de pessoa a. 3. Realizar ou representar na figura de uma pessoa. 4. Servir de modelo a. 5. Pessoalizar, personalizar.

Personismo [do latim persona + -ismo] – Fenômeno tido por comunicação mediúnica, mas que é apenas psicológico. Ver: Animismo.

Persuadir [do latim persuadere] – Levar a crer ou a aceitar; determinar a vontade de, dar convicção, convencer, induzir; formar juízo; aconselhar.

Perverso [do latim perversu] – Que tem má índole, malvado; corrupto, vicioso; traiçoeiro.

Pessoa [do latim persona] – 1. Gramática: flexão pela qual o verbo indica as relações dos sujeitos falantes entre si. 2. Homem ou mulher. 3. Personagem. 4. Individualidade.

Pictografia [do latim pictu, particípio de pingere + graf(o) + -ia] – Pintura ou desenho feito por Espírito através de médium.

Pitonisa [do latim pythonissa] – 1. Sacerdotisa de Apolo Pítio, em Delfos, também chamada pítia, por causa da serpente Pitão que Apolo havia matado. A pítia dava os oráculos, mas, como eles nem sempre eram inteligíveis, os sacerdotes se encarregavam de interpretá-los segundo as circunstâncias. 2. Na antigüidade, sacerdotisa que adivinha o futuro. Ver: Sibila.

Placebo [do latim placebo] – Medicamento inerte, que não tem efeito, empregado com fins sugestivos ou morais.

Planeta [(do grego planétes).] – Astro sem luz própria, que gravita em torno de uma estrela.

Planetário [do latim planetariu] – 1. Relativo ou pertencente a planetas. 2. Anfiteatro em cúpula que serve para a observação e o estudo dos planetas.

Plenitude [do latim plenitudine] – Estado ou qualidade de pleno, cheio, completo, repleto. 2. Totalidade. 2. Máxima extensão, brilho ou glória.

Pluralidade [do latim pluralitate] – 1. Qualidade atribuída a mais de uma pessoa ou coisa. 2. Caráter do que está no plural. 3. O que é geral. 4. Multiplicidade, multidão; grande número; o maior número.

Pneumatofonia [do grego pneuma + phoné + -ia] – Comunicação verbal e direta dos Espíritos sem o concurso dos órgãos fonadores humanos. Voz direta.

Pneumatografia [do grego pneuma + graf(o) + -ia] – Escrita direta dos Espíritos sem o concurso da mão do médium.

Poliglota [do grego polyglottos] – Aquele que domina várias línguas; multilíngüe, plurilíngüe.

Polissemia [do grego polisemía] – Variedade de significados que uma palavra pode ter.

Politeísmo [do grego polytheos + -ismo] – Sistema religioso que admite a pluralidade dos deuses.

Poltergaister [do alemão poltergeist] – 1. Fenômeno paranormal em que se verificam alterações físicas e ruídas diversos, sem causa material aparente. 2. Termo que não integra a nomenclatura da ciência espírita, para a qual os fenômenos são manifestações espirituais de efeito físico, via mediúnica.

Ponderabilidade [do latim ponderabi (e) + -idade] – Qualidade de ponderável; que pode ser examinado, medido ou pesado.

Ponderável [do latim ponderabile] – 1. Que se examina com atenção e minúcia; apreciável, considerável. 2. Que se pode pesar ou medir.

Positivismo [de positivo] – Sistema criado por Augusto Compte, de caráter empirista e antimetafísico, que recusa qualquer juízo de valor não consubstanciado numa certeza científica e idêntica essência e fenômeno.

Possessão [do latim possessione] – Atuação de um Espírito desencarnado sobre o encarnado, com domínio completo.

Possesso [do latim possessu] – Segundo a idéia ligada a essa palavra, o possesso é aquele no qual um demônio veio alojar-se. Tomando o demônio não em sua acepção vulgar, mas no sentido de Espírito mau, Espírito impuro, Espírito malfazejo, Espírito imperfeito, tratar-se-ia de saber se um Espírito desta natureza ou outro qualquer pode eleger domicílio no corpo de um homem conjuntamente com o que nele está encarnado, ou a ele se substituindo. Poder-se-ia perguntar que destino toma, neste último caso, a alma assim expulsa. A Doutrina Espírita diz, conforme Allan Kardec, que “o Espírito unido ao corpo não pode dele ser separado definitivamente senão pela morte; que outro Espírito não pode colocar-se em seu lugar nem unir-se ao corpo simultaneamente com ele; mas ela diz também que um Espírito imperfeito pode ligar-se ao Espírito encarnado, assenhorar-se dele, dominar-lhe o pensamento, obrigá-lo, se ele não tem força para resistir-lhe, a fazer tal coisa, a agir em tal sentido; ele o constrange, por assim dizer, sob sua influência. Assim, não há possessão, no sentido absoluto da palavra, há subjugação; não se trata de desalojar um Espírito mau, mas, para servirmo-nos de uma comparação material, de fazê-lo largar a presa, o que sempre podemos fazer quando o desejamos seriamente; mas há pessoas que se comprazem numa dependência que lhes lisonjeia os gostos e os desejos”.

Potentado [do latim potentatu] – 1. Soberano de grande poder. 2. Indivíduo influente ou poderoso.

Povo [do latim populu] – 1. Conjunto de indivíduos que falam a mesma língua, possuem hábitos, tradições e histórias comuns, e que habitam o mesmo lugar, cidade, região ou país. 2. Multidão; público. 3. A menos favorecida das classes sociais; a plebe.

Povoar [de povo] – Formar povoação, tornado habitado; colonizar, ocupar.

Pragmático [do grego pragmatikós, pelo latim pragmaticu] – Suscetível de ser colocado em prática, voltado à ação.

Prancheta [do francês planche] – Pequena prancha utilizada como suporte para escrever.

Prazer [do latim placere] – 1. Sensação ou sentimento que gratificação os sentidos. 2. Diversão, distração.

Prece [do latim prece] – É uma invocação e, em certos casos, uma evocação, pela qual chamamos a nós tal ou tal Espírito. Quando é dirigida a Deus, Ele nos envia seus mensageiros, os Bons Espíritos. A prece não pode revogar os decretos da Providência; mas por ela os Bons Espíritos podem vir em nosso auxílio, quer para dar-nos a força moral que nos falta, quer para sugerir-nos os pensamentos necessários. Em vista disso, o alívio que experimentamos quando oramos com fervor. Daí vem também o alívio que experimentam os Espíritos sofredores quando oramos por eles, sendo que eles mesmos muitas vezes pedem essas preces, sob a forma que lhes é familiar, e que está mais em relação com as idéias que conservaram de sua existência corporal. A razão, em conformidade com o que dizem os próprios Espíritos, diz-nos que a prece de lábios é uma fórmula vã, quando dela o coração não toma parte.

Prece refratada – Aquela cujo impulso inicial teve sua direção desviada, passando a outro objetivo. Dirigida a um Espírito que não se encontra em condições de atender, é redirecionada pela espiritualidade para outros atendentes em condições de auxílio.

Precognição [do latim praecognitu + -ção] – 1. Conhecer antes, forma de percepção extrasensorial; conhecimento de um evento futuro que não pode ser inferido logicamente. 2. Profecia, predição, previsão, etc..

Preconcebido [do latim prae + concipere] – 1. Concebido antecipadamente; premeditado. 2. Planeado sem reflexão ou fundamento sério.

Preconceito [do latim praeconceptu] – 1. Conceito antecipado, sem maior ponderação ou embasamento; idéia preconcebida. 2. Opinião ou julgamento prévio, formado sem levar em conta a realidade ou fato que o conteste. 3. Crendice; superstição. 4. Intolerância; aversão a outras raças, credos, etc..

Predisposição [do latim prae + dispositione] – Aptidão, inclinação, pendor, propensão, tendência, vocação.

Preexistência [do latim praeexistentia] – 1. Qualidade do que é preexistente; que teve existência anterior. 2. Existência do Espírito antes da reencarnação.

Premonição [do latim praemonitione] – 1. Sensação ou antecipado aviso de algum acontecimento; presságio; pressentimento. 2. Capacidade anímica de pressentir acontecimento futuro.

Preponderância [do latim praeponderantia] – 1. Qualidade do que é preponderante. 2. Supremacia, predomínio, superioridade, hegemonia.

Preponderante [do latim praeponderante] – 1. Que tem mais peso, influência, importância. 2. Que leva vantagem, prevalece.

Presciência [do latim praescientia] – 1. Previdência, pressentimento, presságio, previsão. 2. Qualidade de presciente, de antecipar e prever o futuro.

Pressagiar [do latim praesagiare] – Anunciar por presságio; agourar, pressentir, prever, profetizar, vaticinar.

Presságio [do latim praesagiu] – Fato ou sinal pelo qual se adivinha o futuro; agouro, pressentimento, previsão, prognóstico.

Presunção [do latim praesumptione] – 1. Ato ou efeito de presumir, suposição. 2. Opinião ou juízo baseado na aparência. 3. Suspeita, desconfiança. 4. Vaidade, jactância, orgulho, pretensão.

Primícias [do latim primitias] – 1. As primeiras produções, frutos, sentimentos ou gozos. 2. Os começos; os prelúdios.

Princípio [do latim principiu] – 1. Momento ou local em que uma coisa tem início ou origem. 2. Causa primária, base, razão. 3. Regra, lei, preceito.

Princípio espiritual – Princípio a partir do qual se dá a individualização do Espírito; um dos elementos gerais do Universo em parceria com o Fluido Cósmico Universal.

Princípio Vital – Agente que dá atividade e movimento aos seres vivos e faz com que se distingam da matéria inerte. O mesmo que fluido magnético.

Privilegiado [do latim privilegi (u) + -ado] – 1. Que tem ou goza de privilégio. 2. Distinto, elevado, excepcional. Singular, único.

Prodigalidade [do latim prodigalitate] – 1. Qualidade ou caráter de pródigo. 2. Esbanjamento, desperdício, dissipação. 3. Generosidade, liberalidade. 4. Abundância.

Pródigo [do latim prodigu] – 1. Que gasta em excesso, esbanjador, dissipador. 2. Aquele que dá, distribui, faz ou emprega sem dificuldade e com abundância. 3. Generoso, liberal.

Professar [do latim professare] – 1. Reconhecer ou confessar publicamente. 2. Adotar, abraçar uma doutrina, uma religião, etc.. 3. Lecionar, ensinar na qualidade de professor. 4. Fazer propaganda, preconizar, propagar. 5. Colocar em prática., realizar, executar. 6. Prometer, jurar.

Profeta [do grego prophétes, pelo latim propheta] – 1. Adivinho. 2. Aquele que prevê ou faz conjecturas sobre o futuro. 3. Título dado pelos muçulmanos a Maomé. 4. O que revela a vontade de Deus. 5. Designação imprópria para médium.

Profilaxia [do grego prophylaxis] – 1. Parte da medicina que tem por objeto as medidas preventivas contra as enfermidades. 2. Conjunto de medidas para evitar o aparecimento de doenças.

Progressão – Seria o fenômeno de deslocamento mental ao futuro. O coronel Albert de Rochas, em seu livro “Les Vies Successives,” teve a iniciativa de chamar tais incursões de progressões.

Progresso [do latim progressu] – 1. Movimento para diante, avanço, expansão. 2. O desenvolvimento gradual de um ser ou de uma atividade. 3. Adiantamento, aperfeiçoamento, evolução.

Projeção [do latim projectione] – 1. Ato ou efeito de projetar-se, lançar-se, arremessar-se. 2. Designa também o estado parcial de emancipação da alma, em que o Espírito se afasta de seu corpo, ao qual permanece ligado por um cordão fluídico. É o mesmo que desdobramento.

Proletário [do latim proletariu] – 1. Na antiga Roma, membro da classe mais pobre do povo. 2. Pessoa que vive da remuneração do trabalho por ela exercido.

Promulgar [do latim promulgare] – Publicar oficialmente; tornar público; decretar; vulgarizar.

Prontuário [do latim promptuariu] – 1. Manual de informações e indicações úteis. 2. Ficha com dados de uma pessoa. 3. Lugar em que se guarda aquilo que poderá ser necessário.

Propriedade [do latim proprietate] – 1. Qualidade de próprio. 2. Particularidade, característica inerente. 3. O que pertence ou o direito legítimo.

Proscrição [do latim proscriptione] – 1. Pôr fora de uso, abolir. 2. Condenar, proibir. 3. Afgastar, banir, desterrar, expulsar.

Proscrito [do latim proscriptu] – Que sofreu proscrição; que foi degredado, desterrado, emigrado, exilado.

Proselitismo [do latim proselytu + -ismo] – Atividade que tem por finalidade fazer prosélito.

Prosélito [do grego prosélytos, pelo latim proselytu] – 1. Indivíduo convertido a uma doutrina, idéia ou sistema. 2. Adepto, aquele que adotou religião diferente da que tinha antes.

Protestante [do latim protestante] – 1. Que protesta. 2. Relativo ou próprio do protestantismo. 3. Diz-se daqueles que pretendem conservar a pureza do dogma e do culto dos primeiros tempos do cristianismo, e que, nessa base, promovem nova igreja cristã, desdobrada em várias seitas.

Protestantismo [do latim protestant (e) + ismo] – Nome dado à doutrina religiosa dos protestantes.

Protetor [do latim protectore] – É o Espírito bom que aceitou a missão de acompanhar e ajudar o progresso de seu protegido, influindo com seus conselhos, consolando suas aflições, sustentando sua coragem nas provas da vida. Liga-se ao indivíduo desde o nascimento até a morte biológica e, freqüentemente, o segue depois na vida espiritual, e mesmo em várias existências corporais. Ver: Anjo guardião, Guia espiritual.

Prova [do latim proba] – 1. Demonstração da existência ou inexistência de uma coisa ou ser. 2. Aquilo que serve para atestar ou estabelecer uma verdade por verificação ou demonstração. 3. Exame, teste, concurso. 4. Experimento, experiência, ensaio. 5. Uma das formas do Espírito experimentar-se, objetivando seu progresso. São as vicissitudes da vida corporal, pelas quais os Espíritos se purificam segundo a maneira de suportá-las. De acordo com a Doutrina Espírita, o Espírito já com certo grau de lucidez, na erraticidade, reconhecendo sua imperfeição,   escolhe ele próprio, usando de seu livre-arbítrio, o gênero de provas que julga mais próprio ao seu adiantamento e que sofrerá em sua nova existência. Se ele escolhe uma prova acima de suas forças, sucumbe, e seu adiantamento retarda. Ver: Expiação.

Providência [do latim providentia] – 1. A suprema sabedoria com que Deus tudo dirige. 2. O próprio Deus. 3. Medida adotada previamente, com vistas a um fim determinado. 4. Acautelamento e prudência com relação ao futuro.

Providencial [do latim providenti (a) + -al] – 1. Que vem da providência, da sabedoria suprema de Deus. 2. Referente à pessoa que guarda, ajuda ou protege.

Pseudônimo [do grego pseudónymos] – 1. Nome falso ou suposto. 2. Nome utilizado para ocultar a verdadeira identidade do autor da obra, geralmente escritor ou artista.

Pseudo-sábio [do grego pseudés + do latim sapidu] – Diz-se do que julga ou diz saber mais do que aquilo que realmente sabe.

Psicofonia [do grego psyké + phoné + -ia] – Comunicação dos Espíritos pela voz de um médium falante. Ver: Incorporação.

Psicografia [do grego psyké + graphó + -ia] – Escrita dos Espíritos pela mão do médium.

Psicografia direta – Escrita de um Espírito diretamente pela mão de um médium.

Psicografia indireta [do grego psykhé + graphé] – Escrita de um Espírito por intermédio de utensílio ou ferramenta que não diretamente a mão de um médium. Ver: ardósia e prancheta.

Psicógrafo [do grego psyké + graphó] – O que usa a psicografia; médium escrevente.

Psicologia [do grego psyké + lógos + -ia] – Ciência que estuda os fenômenos psíquicos e o comportamento humano.

Psicometria [do grego psyché + métron (do latim metru) + -ia] – 1. Em Psicologia, é o registro e medida dos fenômenos psíquicos por meio de métodos experimentais padronizados. 2. Em a ciência espírita, designa a faculdade anímica de ler impressões e recordações ao contato com objetos comuns.

Psicopatia [do grego psyké + pat- (pascho) + -ia] – 1. Designação comum às doenças mentais. 2. Estado mental patológico caracterizado por desvios que acarretam comportamentos anti-sociais.

Psicopictografia [do grego psyché + do latim pictu, (particípio de pingere) + -o + -graf(o) + -ia] – O mesmo que Pictografia, porém a presente designação pressupõe ação sob impulso do próprio psiquismo, quando desenhando ou pintando.

Psicopraxia [do grego psyché + práxis] – Termo de pouco uso e que significa o mesmo que incorporação, a ação de um Espírito através do corpo de um médium. Ver: Incorporação.

Psicoscópio [do grego e do latim respectivamente: psyché + copio] – Aparelho destinado a auscultação da alma, com o poder de definir-lhe as vibrações e com capacidade para efetuar diversas observações em torno da matéria, funcionando a base de eletricidade e magnetismo, utilizando-se de elementos radiantes. É um óculos de estudos, com recursos disponíveis para a microfotografia, conforme revelação do Espírito André Luiz.

Psicose [do grego psyché + -ose] – Designação comum às doenças mentais; psicopatia.

Psicosfera [do grego psyché + sphaîra] – 1. Atmosfera psíquica. 2. Campo de radiação do perispírito, que se exterioriza em redor do próprio organismo físico. 3. A expansão da aura, ou “túnica de forças eletromagnéticas, em cuja tecitura circulam as irradiações que lhe são peculiares”.

Psicossoma [do grego psyché+ sôma] – O mesmo que corpo espiritual ou perispírito.

Psicossomático [do grego psyché + sôma + -atico] – 1. Relativo simultaneamente ao perispírito e ao corpo material. 2. Diz-se das enfermidades ou perturbações reflexas, produzidas no corpo físico por influência psíquica ou espiritual.

Psiquiatria [do grego psyché + -iatria] – Parte da medicina que trata do estudo e tratamento das doenças mentais, sob o ponto de vista físico e biológico.

Psíquico [do grego psychikós] – Anímico; relativo à alma ou às faculdades intelectuais e morais de um indivíduo.

Psiquismo [do grego psykhé + -ismo] – 1. Conjunto das características psicológicas de um indivíduo. 2. Conjunto de fenômenos psíquicos ou processos mentais, conscientes ou inconscientes, que são objeto da Psicologia.

Pujante [do espanhol pujante] – 1. Que tem força. Possante. 2. Grandioso, magnífico. 3. Denodado, altivo, brioso.

Pungente [do latim pungente] – 1. Que fere; agudo, penetrante. 2. Comovente, doloroso, lancinante.

Purgatório [do latim purgatoriu] – 1. Lugar em que, segundo o catolicismo, se purificam as almas dos justos, antes de entrarem nas bem-aventuranças. 2. Qualquer lugar onde se sofre temporariamente. 3. Expiação, padecimento, sofrimento.

Purgatório [do latim purgatorium] – Lugar de expiação temporária, segundo a Igreja Católica, para as almas que têm ainda que se purificar. A Igreja não define de um modo preciso o lugar onde se acha o Purgatório e não se explica mais claramente sobre a natureza das penas ali sofridas. O ensino dos Espíritos é muito mais explícito a este respeito. Eles rejeitam, é verdade, o dogma da eternidade das penas (ver Inferno), mas admitem uma expiação temporária, mais ou menos longa, que não é outra coisa, salvo o nome, senão o purgatório. Esta expiação se realiza pelos sofrimentos morais da alma no estado errante.

Puro [do latim puru] – 1. Genuíno, que não tem mistura e não sofreu alteração. 2. Cristalino, límpido, transparente. 3. Casto, inocente, virtuoso. 4. Limpo, imaculado. 5. Simples, sincero, verdadeiro. 6. Honesto, íntegro, probo. 7. Completo, inteiro, total.

escola-decor