Dicionário de Umbanda-I

Letra I

Dicionário de Umbanda Letra I

Dicionário de Umbanda Letra I

Dicionário de Umbanda e Iorubá (Yorubá)

Dicionário de Umbanda, termos umbandistas, vocabulário umbanda

Dicionário de Umbanda

 

I

IABÁ — Carne seca. Cozinheira que conhece e prepara as comidas dos orixás e dos guias. Cozinheira do culto.

IALORIXÁ — É a designação dada a qualquer mãe-de-santo. Médium chefe, formadora de médiuns.

IANSà—  Deusa do vento e da tempestade. Deusa da vingança. Tem como fetiche uma pedra meteorito. Insígnia: a espada e o raio. Amalá: bode, galinha, acarajé. Cor da indumentária: vermelha e verde. Contas: de cor vermelha, coral. Pulseiras: cobre e latão. Curiador: cerveja branca, água de cachoeira. Associada a Santa Bárbara na Lei Católica.

IAÔ — Médium feminino no primeiro grau de desenvolvimento no Terreiro. Sacerdotisa. Noviça. Inicianda.

IAQUERÊ — Mãe pequena, isto é, espécie de dama de companhia que atende as necessidades de uma inicianda durante a clausura existente enquanto se efetua o seu desenvolvimento.

IARA — Mãe d’água. Divindade das águas. Deusa das águas.

IBÁ — Cuia com pimenta da Costa. Feitiçaria. Pós diversos. Dentes, cabelos, ossos, raízes, ervas, tudo empregado contra alguém em trabalhos de magia negra.

IBÈ (Iorubá) — lá.

IBERÈ (Iorubá) — oração.

ÍBERÉ (Iorubá) — começo.

IBO (Iorubá)— onde.

ÍBÒ (Iorubá)— jogo de dado em consulta aos deuses.

ÌBOJI (Iorubá) — gêmeos.

ÌBON (Iorubá)— arma, pistola.

ÌBOPÁ (Iorubá)— bracelete.

ÌBORÍ (Iorubá)— vitória, cobertura para a cabeça.

ÌBORISÀ (Iorubá)— idolatria.

ÌBOSR (Iorubá)— meias.

ÌBOWÓ (Iorubá)— luvas.

IBI — Lugar. Chão. Terra. Sepultura. Túmulo.

ICIKA — Resina de Elemi, muito usada em defumações e diversas outras aplicações em terreiros.

IDÁ — Assim é designada uma campainha de tamanho muito reduzido e usada nos trabalhos de terreiro.

IDÁ (Iorubá) — criação.

IDA (Iorubá) — espada.

ÌDÁHUN (Iorubá) — resposta.

IDÁNRAWÒ (Iorubá) — exercício, prova.

ÌDAPÓ (Iorubá) — santa comunhão.

IDÁW (Iorubá)  — consulta aos deuses.

ÌDÁWO (Iorubá) — contribuição.

IDAYI (Iorubá) — tempo.

IDÊ (Iorubá) — pulseira.

ÌDIKÚ (Iorubá) — lenço.

IEIÉ (Iorubá) — É o Guardião protetor da Terra.

IEMANJÁ — Iemanjá é a Senhora do Mar. Protege as esposas e mães de família. Seu dia é o sábado, sua cor é o branco muito alvo. Seu distintivo é um leque. Suas comidas são o manjar do céu, tainha e milho. Associada a Nossa Senhora da Conceição.

Senhora do Mar. Protege as esposas e mães de família

Iemanjá

IFÁ — Orixá adivinho. Deusa protetora dos partos.

ÌFÁ (Iorubá) — boa sorte.

IFÁ (Iorubá) — telepatia.

IFE (Iorubá) — taça.

IFENUKONU (Iorubá) — beijo.

IGÁ-LORIXÁ — Mãe-de-Santo. Mulher chefe de Terreiro.

IGBÔ — Terreiro. Magia entre os negros do Daomêi.

IGI (Iorubá) — árvore.

ÌGO (Iorubá) — garrafa.

ÌJAGUN (Iorubá) — guerra.

IJEXÁ — Ritual africano. Os adeptos do Ijexá temem os mortos e apressam-se em expulsá-los para longe do Terreiro.

IJÓ (Iorubá) — dança.

ÌJÒKO (Iorubá) — cadeira.

ÍJO (Iorubá) — reunião.

ÌKÓRITA (Iorubá) — rua.

IKA — Trombeta indígena usada em práticas ritualísticas.

IKE (Ioruba) — bracelete.

ÌKÓRITA (Iorubá) — rua.

ILÀ (Iorubá) — lanhos. Marca.

ÌLARA (Iorubá) — Inveja.

ILÊ-ÊKÓ (Iorubá) — escola.

ILÊ (Iorubá) — casa.

ILÊ-ÓRISA (Iorubá) — igreja dos orisas.

ILÊ-OLORUN (Iorubá) — casa de Deus. Igreja.

ILÈ-AIYÊ (Iorubá) — mundo.

ILEKÊ (Iorubá) — contas.

ILÊKÚN (Iorubá) — casa.

ILÊ-OILORUM — Casa de Deus. Igreja. Terreiro. Templo.

ILÊ-SAIM — Casa das Almas.

ÌLÚ (Iorubá)— cidade.

ÌLU (Iorubá) — atabaque.

IMAGENS — Para o Brasil as imagens foram trazidas pelos sacerdotes catequizados, sendo que a primeira missa aqui realizada,      bem   como   as   procissões   que   se   realizam, transportando-se imagens, nada mais representam do que uma intensa propaganda católica, com a finalidade única e exclusiva de conseguir-se maior número de adeptos. Ainda chegaremos à conclusão de que, quando o homem encarar devidamente as questões religiosas, não se deixará imbuir por falsos princípios e falsos credos, guiando-se unicamente por uma força superior e divina, a qual não admitirá absolutamente o fenômeno da fé, baseando-se naquilo que se vê, mas sim naquilo que se sente. Essa será a sublime condição da Umbanda. Mostrar a verdade onde ela verdadeiramente se encontra.

IMALÊ (Iorubá) — emblema religioso.

ÌMALE (Iorubá) — maometano.

IMAWÔ-ARA (Iorubá) — encarnação.

IMÓ (Iorubá)— conhecimento.

INÁ (Iorubá)— ogo.

INAJÀ (Iorubá)— comercio.

INCONSCIENTE — É assim chamado o médium feminino que se acha em situação de impureza, quando atravessa o período de menstruação, ou quando teve relações sexuais pouco antes de comparecer ao terreiro   para   início   dos   trabalhos.   Nessas condições esse médium não deve tomar parte na sessão, devido às emanações tóxicas que irradia e que são facilmente absorvidas pelo vampirismo psíquico, como também não deverá entrar no local onde se encontra o pegi. Em casos muito excepcionais, e mesmo assim acompanhado do responsável do Terreiro, o médium, obtida a permissão faz o pedido, devendo retirar-se imediatamente. O acompanhante segue o médium, pronunciando as seguintes palavras: “Entra como entrei. Bebe como bebi. Sai como saí”, cujo significado é o seguinte: “Quem entra tem fé. intenções pacíficas e grande necessidade em ser socorrido espiritualmente.

IMU — Espírito de pessoa desencarnada (morta), entre os negros de Kamba.

INAÍBA — Canela de casca preta usada em defumações e banhos para atração de fluidos protetores.

INCENSO — Assim é chamada uma resina vegetal grandemente usada em defumações bem como purificador de ambientes e pessoas que sofram os efeitos da influência espiritual.

INCENSO DOS MAGOS — É o incenso quando empregado em trabalhos de alta magia. O incenso usado para tal fim é misturado com carvão em pó e mirra.

INCENSÓRIO — É como se chama a vasilha onde são postas as brasas do ambiente.

INCORPORAÇÃO — A incorporação perfeita ou completa é aquela na qual o médium perde toda a consciência do que se está passando nele próprio, ou no ambiente onde se encontra. A incorporação é imperfeita, quando o Protetor não toma conta de modo completo do aparelho acontecendo isso porque o médium não foi bem desenvolvido, ou por qualquer outro motivo, como, por exemplo, a impossibilidade mesmo de um completo desenvolvimento, pois existem médiuns que, por motivos que não conhecemos, não podem ser desenvolvidos. Todavia, neste caso, pode-se tentar o desenvolvimento fazendo o médium ser examinado por um vidente. Se mesmo assim nada se conseguir, então é porque esse médium só poderá ter a sua mediunidade desenvolvida noutra reencarnação.

INDIRI — É o nome de uma planta possuidora de grandes virtudes mágico-protetoras. É muito usada pelos negros africanos, para banhos, defumações e preparo de amuletos.

INFLUÊNCIA ESPIRITUAL — A influência espiritual é um dos casos mais importantes da Umbanda e das demais correntes espiritualistas. Muitos espíritos que nos acompanham, muitas vezes tornando a nossa vida um verdadeiro mar de sofrimentos, na realidade não sabem o que estão fazendo, embora em muitos casos insistam em levar a sua perseguição ao máximo, certos do mal que estão praticando. Assim como praticamos a caridade, perdoando os vivos que nos são adversos, mais ainda devemos fazer por esses pobres desencarnados, pois outros motivos tem   ainda o verdadeiro espírito para ser indulgente com os seus inimigos. Sabemos que o desencarne nos livra da presença material de um inimigo, pois que ele pode nos continuar a perseguir com o seu ódio, mesmo depois de haver desencarnado.

Mas se como verdadeiros espíritas, não podemos pensar em castigar de qualquer forma um irmão desencarnado que nos persegue, temos uma oportunidade de lhe fazer a caridade, livrando-nos ao mesmo tempo do seu encosto, desde que nos utilizemos dos trabalhos de terreiro de Umbanda. Fazendo esse irmão descer ao terreiro, o babalaô conduzi-lo-á à realidade, fazendo-o ver o erro em que está incorrendo. Muitas vezes, de um espírito muito atrasado, torna-se necessário fazê-lo descer em várias sessões, mas. no fim, consegue-se o seu afastamento, seguindo ele o seu destino para iniciar o caminho do progresso e deixando livre de qualquer influência o irmão que ele vinha perseguindo.

Não são raras as vezes em que um espírito atrasado que persegue uma pessoa, aproveita-se de uma certa oportunidade para praticar o mal, incutindo-lhe certos sintomas de uma dada doença. Tais sintomas se agravam e o doente vai ao médico, que nada encontra nos exames a que submete o pseudo-doente. Ele sente tudo, mas os seus órgãos estão perfeitos. O tratamento em tal caso terá que ser puramente espiritual.

De qualquer forma, o doente não se deverá afastar das determinações do chefe de terreiro, cumprindo com o máximo rigor todas as suas determinações. Embora as doenças devidas a encostos ou despachos possam ser tratadas em sessões de terreiro, com assistência, em muitos casos esse tratamento deve ser feito em sessões privadas, levadas a efeito somente para esse fim, observando-se todo o ritual da Linha de Umbanda.

influencia-espiritual

 

INHASÃ — Inhasã, ou Deusa das Águas, tem no seu nome o doce significado que lhe deu origem: INHA, senhora SÃ santa. Não podendo o preto dizer Nossa Senhora das Águas, adotou, juntamente com o índio ou caboclo, o nome de INHASÃ ou seja, a Deusa das Águas.

INICIADO — Assim é chamado o aprendiz dos princípios de uma seita.

INICIANDA — É o médium feminino quando em início do seu desenvolvimento mediúnico.

INICIANDO — Ê o médium masculino quando em início do seu desenvolvimento mediúnico.

INSILA — É como se chama a carga fluídica prejudicial e, por isso mesmo, chamada negativa. É também o nome dado pelos negros zulus à imundície psíquica.

IOGA — Assim é chamada uma corrente espiritual-filosófica originária da Índia, a qual pretende melhorar a espécie humana pelo desenvolvimento das faculdades psíquicas do seu praticante que, assim, denomina a matéria, não sendo jamais dominado por ela.

IOGUE — É o adepto e praticante da Ioga.

IORUBÁ (Língua) — Iorubá ou ioruba (Èdè Yorùbá), por vezes referida como yorubá ou yoruba é um idioma da família linguística nígero-congolesa falado secularmente pelos iorubás em diversos países ao sul do Saara, principalmente Nigéria, Benim, Togo e Serra Leoa, e no Brasil dentro de um contínuo cultural-linguístico composto por 22 milhões a 30 milhões de falantes. No continente americano, o iorubá é usado em ritos religiosos afro-brasileiros (onde é chamado de nagô) e afro-cubanos (onde é conhecido também por lucumí).
Fonte: wikipedia, Língua Iorubá

Iorubá, língia yoruba

Distribuição geográfica das línguas faladas na Nigéria, Benim e Camarões

IORUBAS — São os negros africanos que falam a linguagem nagô.

IPADÊ (Iorubá) — encontro.

IPANU (Iorubá) — almoço.

IPETÊ — Comida da Iansã. É feita tendo como base o inhame fervido com camarão, ao qual se junta dendê e diversos temperos.

ÌPÊRÊ (Iorubá) — jovem, solteiro.

IPÈREGÚN (Iorubá) — planta.

IRA — É uma espécie de abelha, sendo o seu favo feito no chão. A sua cera é de grande uso em muitos trabalhos de Umbanda.

IRANSE-OLORUN (Iorubá) — mensageiro de Deus.

IRAWO ÀGUALA (Iorubá) — Vênus (planeta).

IRAWOLÊ (Iorubá) — planta medicinal para criança.

IRMÃO — Assim é chamado o adepto ou irmão de uma seita religiosa ou corrente espiritualista.

IR PARA A RODA — É uma frase que traduz o desenvolvimento da mediunidade na corrente de Umbanda.

IROCO — Gameleira. Árvore sagrada à qual se devem muitos milagres.

IROKO (Iorubá) — planta.

IRUBO (Iorubá) — sacrifício.

IRUN (Iorubá)— cabelo.

ISAGOGE — Iniciação no espiritualismo.

ÌSÁNA (Iorubá) — fósforo.

ÌSU (Iorubá)— inhame.

ITA — Pedra-de-Santo. Amuleto. Fetiche. É também o nome de uma pedra preparada pelos guias e que é colocada às ocultas dos olhares curiosos no pegi existente no terreiro.

ITA DE XANGÔ — Pedra caída junto com o raio.

ITAMBI — Ritual funerário, praticado pelos tupis.

ITON-ENGAMBI — É um chifre mágico que serve para tirar a sorte, servindo também para fazer o horóscopo do consulente. Com o seu emprego pode-se também provocar o transe mediúnico, dentro de certo ritual.

IXÃ — Chicote sagrado usado nos rituais de terreiro e da Alta Magia para afastar os maus espíritos que venham perturbar os trabalhos.

IXÊ — É um mastro que ostenta o símbolo de Xangô e de qualquer outra entidade protetora.

IWÉ (Iorubá)— livro, papel.

IWÉKIKÀ (Iorubá)— livro de leitura.

IWÉ-ÍROHIN (Iorubá)— jornal

IWIN — Espírito. Protetor.

IWIN (Iorubá)— espírito.

IWIN (Iorubá)— loucura.

IWO (Iorubá)— chifre.

ÌYÀ (Iorubá)— mãe, mamãe.

ÌYÁ(Iorubá) — sofrimento.

ÌYÁ-AGAN (Iorubá) — mulher que, em função especial, atende aos Egunguns.
Nota: para outras fontes o ‘Culto aos Egunguns, é o culto aos ancestrais masculinos, uma vez que o culto aos ancestrais femininos denomina-se Gelede na religião yoruba e outras religiões tradicionais africanas. Fonte: Wikipedia, Culto aos Eguguns.

ÌYÃFIN (Iorubá)— madame, senhora.

ÌYAGBÀ (Iorubá)— matronas, senhoras idosas.

IYÁLASÈ (Iorubá)— chefe de cozinha.

ÌYALÓDE (Iorubá)— senhora da alta sociedade.

ÌYÁLORISA (Iorubá) — sacerdotisa.

IYÁN (Iorubá)— inhame.

IYÁRA (Iorubá)— rapidez.

IYÃRÁ (Iorubá)— lugar.

ÌYAWÒ (Iorubá)— noiva, esposa, recentemente casada.

IYE (Iorubá)— número.

IYÈ (Iorubá)— vida.