A nova geração

A nova geração

30 DE JANEIRO DE 1866

(Lyon. Grupo Villon. – Méd. sr. G.)

A Terra vibra de alegria; o dia do Senhor se aproxima; tudo o que é cabeça entre nós conspira para a inveja entrar na liça. Já o Espírito de algumas valentes almas encarnadas sacode o seu corpo para destruí-lo; a carne confusa não sabe o que pensar, um fogo desconhecido a devora; elas serão libertadas porque os tempos estão chegados: uma eternidade está no ponto de expirar, uma eternidade vai logo aparecer, e Deus conta os seus filhos.

O reino do ouro dará lugar a um reino mais puro; o pensamento será logo soberano, e os Espíritos de elite, que vieram, desde as épocas recuadas, iluminar o seu século, e servir de referência aos séculos futuros, vão se encarnar entre vós. A sua palavra sábia vai levar uma chama destruidora que fará devastações irreparáveis no seio dos velhos abusos. Que os preconceitos antigos vão desabar de uma só vez, quando o Espírito, como um machado duplamente afiado, virá miná-los em seus fundamentos.

Sim, os pais do progresso do espírito humano deixaram, uns as moradas radiosas, outros os grandes trabalhos onde a felicidade se junta ao prazer de se instruírem, para virem retomar o bastão de peregrino que não haviam senão depositado no limiar do templo da ciência, e, dos quatro cantos do globo, logo os sábios oficiais vão ouvir, com pavor, jovens pessoas imberbes, que virão, numa linguagem profunda, retorquir os seus argumentos, que acreditavam irrefutáveis. O sorriso zombador não poderá mais ter um escudo seguro, e, sob pena de queda, será preciso responder. Será, então, que o círculo vicioso, no qual se encerram os mestres da vã filosofia, será posto a descoberto, porque os novos combatentes levam consigo, não somente um archote, que é a inteligência desembaraçada dos véus grosseiros, mas ainda muitos dentre eles gozarão desse estado particular, privilégio das grandes almas, como Jesus, que dá o poder de curar e de fazer maravilhas, reputadas milagres. Diante dos fatos materiais, onde o espírito se mostra tão superior à matéria, como negar os Espíritos? O materialista será rechaçado em seus discursos, e pela palavra mais eloqüente do que a sua, e pelo fato patente, positivo, e averiguado por todos, porque, grandes e pequenos, novos São Tomés, poderão tocar com o dedo.

Sim, o velho mundo carcomido estala em todos os sentidos; o velho mundo acaba, e com ele todos os seus velhos dogmas, que não reluzem ainda senão pela douradura com a qual são cobertos. Espíritos valentes, cabe a vós a tarefa de raspar esse ouro falso; para trás, vós que quereis em vão escorar esse ídolo; batido por toda a parte, ele vai desabar, e vos arrastará em sua queda.

Para trás, todos vós negadores do progresso; para trás, com as vossas crenças de uma outra época. Por que negais o progresso e quereis entravá-lo? É que, querendo vencer, vencer ainda e sempre, condensastes o vosso pensamento em artigos de fé, dizendo à Humanidade: “Serás sempre criança, e nós, que temos a iluminação do alto, estamos destinados a te conduzir.”

Mas vistes as andadeiras da criança vos ficar nas mãos; e a criança saltar diante de vós, e negais ainda que possa caminhar sozinha! Será batendo-lhe com as andadeiras que devereis provar-lhe a autoridade de vossos argumentos? Não; e o reconheceis bem; mas é tão suave, quando se diz infalível, para crer que os outros têm ainda fé nessa infalibilidade, na qual vós mesmos não credes mais.

Ah! que gemidos não se produzem no santuário! É lá que, prestando-se atenção, ouvem-se cochichos dolorosos. Que dizeis, pois, pobres obstinados? Que a mão de Deus cai sobre sua Igreja? Que, por toda a parte, a imprensa livre rebate os vossos argumentos? Onde estará esse novo Chrisóstomo cuja palavra poderosa reduziria a nada esse dilúvio de faladores? Em vão o esperais; as vossas penas mais vigorosas, e as mais credenciadas, nada mais podem; obstinam-se em se aferrar ao passado que se lhe vai, quando a nova geração, em seu vôo irresistível que a impele para a frente, exclama: Não, não mais de passado; a nós o futuro; uma nova aurora se eleva, e é para lá que tendem as nossas aspirações!

Em frente! disse ela; alargai o caminho, os nossos irmãos nos seguem; segui a onda que nos arrasta; temos necessidade do movimento que é a vida, ao passo que vós nos apresentais a imobilidade que é a morte.

Abri os vossos túmulos, as vossas catacumbas; saciai a vossa visão com os velhos restos de um passado que não é mais. Os vossos mártires não morreram para imobilizar o presente. Entreviram a nossa época e se lançaram na morte como sobre o caminho que a ela deveria conduzir. A cada época o seu gênio; queremos vos lançar na vida, porque os séculos futuros que nos aparecem têm horror da morte.

Eis, meus amigos, o que os valentes Espíritos que se encarnam presentemente vão fazer compreender. Este século não se acabará sem que muitos restos não cubram o solo. A guerra mortífera e fratricida se apagará logo diante da discussão; o espírito substituirá a força bruta. E, depois que todas essas almas generosas tiverem combatido, reentrarão no nosso mundo espiritual, para receberem a coroa do vencedor.

Eis o objetivo, meus amigos; os combatentes são muito aguerridos para que o sucesso seja duvidoso. Deus escolheu a elite de seus combatentes, e a vitória é aquisição da Humanidade.

Regozijai-vos, pois, todos vós que aspirais à felicidade, e que quereis que os vossos irmãos dela participem como vós, o dia é chegado! A Terra pula de alegria, porque vai ver começar o reino de paz prometido pelo Cristo, o divino messias, reino do qual veio colocar os fundamentos.

UM ESPÍRITO.

direita-seta

Próximo

esquerda-seta

Anterior

escola-decor

Índice de Obras Póstumas de Allan Kardec

  1. Deus
  2. A Alma
  3. Criação
  1. O perispírito, princípio das manifestações
  2. Manifestações visuais
  3. Transfiguração. Invisibilidade
  4. Emancipação da alma
  5. Aparições de pessoas vivas. Bicorporeidade
  6. Dos médiuns
  7. Da obsessão e da possessão
  1. Fonte das provas da natureza do Cristo
  2. A divindade do Cristo está provada pelos milagres?
  3. Divindade de Jesus está provada pelas suas palavras?
  4. Palavras de Jesus depois de sua morte
  5. Dupla natureza de Jesus
  6. Opinião dos Apóstolos
  7. Predições dos profetas concernentes a Jesus
  8. O Verbo se fez carne
  9. Filho de Deus e filho do homem
  1. Doutrina Materialista
  2. Doutrina Panteísta
  3. Doutrina Deísta
  4. Doutrina Dogmática
  5. Doutrina Espírita

Segunda Parte

  1. Considerações preliminares
  2. Dos cismas
  3. O chefe do Espiritismo
  4. Comissão Central
  5. Instituições acessórias e complementares da comissão central
  6. Extensão da ação da comissão central
  7. Os estatutos constitutivos
  8. Do programa de crenças
  9. Caminhos e meios
  10. Allan Kardec e a nova constituição