Espírito protetor

Meu Espírito protetor

11 DE DEZEMBRO DE 1855

(Em casa do sr. Baudin, méd. srta. Baudin.)

Pergunta ao Espírito Z. – No mundo dos Espíritos, há um deles que seja para mim um bom gênio? – Resposta. Sim; – Perg. É o Espírito de um parente ou de um amigo? Resp. Nem um nem outro. – Perg. Quem foi sobre a Terra? – Um homem justo e sábio. – Perg. Que devo fazer para granjear a sua benevolência? – Resp. O mais de bem possível. – Perg. Por quais sinais poderei reconhecer a sua intervenção? – Resp. Pela satisfação que sentirás. – Perg. Há um meio de evocá-lo, e qual? – Resp. Ter uma fé viva e pedir com empenho. – Perg. Depois de minha morte o reconhecerei no mundo dos Espíritos? – Resp. Isso não é duvidoso; será ele que virá te felicitar, se cumprires bem a tua tarefa.

Nota. – Vê-se, por essas perguntas, que eu estava ainda bem novato sobre as coisas do mundo espiritual.

Perg. – O Espírito de minha mãe vem algumas vezes me visitar? – Resp. Sim, e ela te protege tanto quanto isso seja possível. – Perg. Freqüentemente eu a vejo em sonho; é isso uma lembrança e um efeito de minha imaginação? Resp. – Não; é bem ela que te aparece, tu deves compreendê-lo pela emoção que sentes.

Nota. – Isto é perfeitamente exato; quando minha mãe me aparecia em sonho, eu sentia uma emoção indescritível, o que o médium não poderia saber.

Perg. Quando, há algum tempo, evocamos S, e lhe perguntamos se poderia ser o gênio protetor de um de nós, ele respondeu: “Que um de vós se mostre digno e eu estarei com ele: Z. vos dirá;” crês-me capaz desse favor? – Resp. Se tu o queres. – Perg. Que é preciso fazer para isso? Resp. Fazer todo o bem que encontrares por fazer e suportar as penas da vida com coragem.

Perg. – Estou apto, pela natureza de minha inteligência, para penetrar, tanto quanto é permitido ao homem fazê-lo, as grandes verdades de nossa destinação futura? – Resp. Sim, tens a aptidão necessária, mas o resultado dependerá da perseverança no trabalho. – Perg. Posso concorrer para a propagação dessas verdades? – Resp. Sem dúvida. – Perg. Por quais meios? –Resp. Sabê-lo-ás mais tarde; à espera, trabalha.

direita-seta

Próximo

esquerda-seta

Anterior

escola-decor

Índice de Obras Póstumas de Allan Kardec

  1. Deus
  2. A Alma
  3. Criação
  1. O perispírito, princípio das manifestações
  2. Manifestações visuais
  3. Transfiguração. Invisibilidade
  4. Emancipação da alma
  5. Aparições de pessoas vivas. Bicorporeidade
  6. Dos médiuns
  7. Da obsessão e da possessão
  1. Fonte das provas da natureza do Cristo
  2. A divindade do Cristo está provada pelos milagres?
  3. Divindade de Jesus está provada pelas suas palavras?
  4. Palavras de Jesus depois de sua morte
  5. Dupla natureza de Jesus
  6. Opinião dos Apóstolos
  7. Predições dos profetas concernentes a Jesus
  8. O Verbo se fez carne
  9. Filho de Deus e filho do homem
  1. Doutrina Materialista
  2. Doutrina Panteísta
  3. Doutrina Deísta
  4. Doutrina Dogmática
  5. Doutrina Espírita

Segunda Parte

  1. Considerações preliminares
  2. Dos cismas
  3. O chefe do Espiritismo
  4. Comissão Central
  5. Instituições acessórias e complementares da comissão central
  6. Extensão da ação da comissão central
  7. Os estatutos constitutivos
  8. Do programa de crenças
  9. Caminhos e meios
  10. Allan Kardec e a nova constituição